quinta-feira, 27 de junho de 2013

Melhores Filmes de 2012

Para colocar o blog novamente de volta à ativa, nada como falar de algo que o blog ficou mais de um ano sem falar: filmes. E infelizmente, não perdemos muito. Com o ano que passamos, foram poucos os poucos os nomes que se destacaram no ano de 2012, fazendo com que fosse fácil montar uma lista com os dez melhores filmes do ano. Aqui estão eles:


10. Argo (Ben Affleck)
Muitos odiaram e muitos gostaram. A pergunta que mais persiste é se o filme mereceu o grande prêmio da noite na Academia. A resposta é não, como sempre. A Academia não passa de uma festa de favores e contratos, mas só por causa disso, não significa que Argo não seja um grande filme. Talvez tenha sido porque eu não esperava nada e me surpreendi fortemente, e apesar de ser um filme extremamente americano, o filme possui uma história intrigante, com um roteiro interessante e uma edição que faz tudo isso fluir. Opiniões a parte, mas para mim, misturar política com produção de cinema não é apenas genial, mas também, algo interessante que nunca se viu num filme. Agora, pedir pra esposa do Obama anunciar que o filme é o melhor do ano é realmente um pouco forçado demais. Principalmente para um filme desse. De uma maneira ou de outra, bom filme.


09. Marcados Para Morrer (David Ayer)
Com pouca publicidade, Marcados Para Morrer é uma surpresa do ano ao estilo Tropa de Elite. Com uma direção e edição meio documentária, o filme conta a vida de uma dupla policial em Los Angeles que se acabam se envolvendo com um perigoso cartel. O filme explora a relação dos dois policiais e a vida que vivem dia-a-dia combatendo os crimes de Los Angeles. O filme é de fato surpreendente e possui cenas bastante fortes, contendo de tráfico humano à pessoas mutiladas. Tem um roteiro bem interessante e não cai nos clichês americanos.


08. O Lugar Onde Tudo Termina (Derek Cianfrance)
Do mesmo diretor de Blue Valentine, ou, Namorados Para Sempre; O Lugar Onde Tudo Termina é um  ótimo filme de 2012 que acaba de ser lançado no Brasi. O filme conta uma história de três gerações marcadas por um acontecimento de duas familias entre um policial e um motociclista fora-da-lei. Com uma lindissima fotografia e mais de duas horas de duração, o diretor constrói um roteiro desconstruindo as façanhas da policia, questionando a moral entre classes sociais e relação entre pai, filho e modelos de família. Uma mini-odisséia dramática.


07. As Vantagens de Ser Invisível (Stephen Chbosky)
Escrito e adaptado pelo mesmo autor do livro, As Vantagens de Ser Invisível é vendido como um drama adolescente que vai, porém, muito além disso. O que começa sendo um filme sobre um garoto sofrendo de bullying no colegial, se torna uma história de amizade e a transição para a fase adulta de uma maneira real, madura e um tanto alternativa. Pode-se dizer que cai aos gostos indies, mas não se faz propaganda disso. Sim, os personagens gostam de Smiths, lêm On The Road e Gastby, assistem The Horror Picture Show, mas o filme na verdade se trata de sexo, drogas, molestação em crianças, homossexualismo e suicído. Um retrato da geração dos anos 80 e 90.


06. Amor (Michael Haneke)
Vencedor de Cannes em 2012, Amor é um dos filmes mais "soaves" de Michael Heneke. Ainda sim, não deixa de ser um dos seus grandes filmes e um dos melhores filmes do ano. Com uma direção típica do diretor alemão, Amor retrata a relação de um casal de senhores de idade onde a esposa começa a sofrer de uma doença que começa a delimitar o seu corpo. Não é um filme que deve ser visto apenas pela história e principalmente se está a procura de um filme romantico. O filme em sí não é sobre o casal mas sobre o desmoronamento do corpo, do ser humano e tudo ao seu redor, que é apresentado secamente por Haneke e um requiem que nos acompanha a obra inteira. Emmanuelle Riva, de Hiroshima Meu Amor, está impecável e demonstra a melhor performance do ano - algo que a Academia não concorda, dando o prêmio para Jennifer Lawrence?


05. A Hora Mais Escura (Kathryn Bigelow)
Se fosse para a mulher do Obama anunciar o melhor filme do ano, que escolhessem A Hora Mais Escura para isso - o filme com o tema mais americano do ano que não se trata dos Estados Unidos. O filme na verdade gira em torno de Maya, uma personagem interpretada pela incrível atuação de Jessica Chastin, que deu a sua vida para achar Osama Bin Ladin, que estava desaparecido desde os ataques de 11 de Setembro. Com um roteiro extremamente forte e uma edição maravilhosa, A Hora da Escura não é o melhor filme do ano para mim, mas é sem duvida um dos meus favoritos. E grande parte disso vem de Bigelow, que não bate palmas para sua nação em nenhum momento e foca em apenas em sua brilhante personagem.


04. A Vida de Pi (Ang Lee)
Nunca dei um crédito para este filme de Ang Lee. Um filme de um homem que se passa num barco com um tigre, cheio de efeitos especiais piegas e todos aqueles animais. Se eu lesse esse post antes de ver o filme perguntaria qual é o meu problema, mas incrivelmente, estou errado. A Vida de Pi pode parecer mais um desses filmes hollywoodianos ordinários mas é um dos melhores filmes de aventura que eu já vi, e olha que odeio tais filmes. O filme não é só apenas incrivelmente belo e muito bem feito, mas como também, possui um final que explica tudo o que aconteceu de maneira interessante, deixando para o espectador como ele deseja ver um filme. incrivelmente surpreendente.


03. Moonrise Kingdom (Wes Wanderson)
Moonrise Kingdom pode não ter muita história, mas é sem dúvida um dos filmes mais graciosos já feito. Com uma fotografia como se tudo fosse um cenário montado a partir de de casas de boneca, Wes Wanderson cona a história de duas crianças prodígias que fogem de seus lares e vão viver no mato em nome do amor, algo que nem mesmo os dois sabem direito o que significa. Juntos, embarcamos num mundo sob a visão dessas peculiares crianças, com um elenco incrível formado por Tilda Swinton, Edward Norton, Bill Murray, Bruce Willis, entre outros.


02. Batman - O Cavaleiro das Trevas Ressurge (Christopher Nolan)
Apesar de muitos descordarem comigo, O Cavaleiro das Trevas Ressurge é para mim, o melhor filme do Batman e o melhor filme de Nolan. é de fato um épico de quase três horas, que não é apenas um bom filme de super-herói (se é que podemos chamar a trilogia do Cavaleiro das Trevas disso), mas é um filme de ação de cair o queixo, com um roteiro espetacular, uma direção impecavel, que vai a lugares que apenas Nolan teve coragem de ir. Que dizem o que quiser de Steven Spielberg e J.J Abrams, Christopher Nolan não precisa de uma tela verde para criar algo incrivel. Tudo o que ele precisa é uma caneta e uma câmera.


01. O Mestre (Paul Thomas Anderson)
Pessoas podem falar de Christopher Nolan, Tim Burton, Scorcese, etc; para mim, um dos melhores diretores em ativa hoje é Paul Thomas Anderson. Apesar de ter poucos filmes, as obras de Paul Thomas Anderson acabam com qualquer filme ja feito em muitos anos. Depois de Boogie Nights e Sangue Negro, Anderson trás O Mestre. Apesar de ter um roteiro um tanto dificil, Paul Thomas Anderson cria uma obra de arte desde direção à fotografia e atuação. Foi fácil dar o Oscar para Daniel Day-Lewis com aquele monte de maquiagem, mas quero ver alguem fazer o que Joaquin Phoenix fez em O Mestre. Um filme simplesmente impecável, que apesar de não ser um filme muito comentado, é sem duvida uma das obras mais incriveis dos ultimos anos.

Nenhum comentário: